Luzia

Tinha a sabedoria firme do corpo que insiste e resiste Vivia o aperto dos dias o descuido e o cuidado a valentia das feras a galhardia da damas – mas falava palavrão, de repente, sem pensar. Voava à frente do tempo – feito todas as mulheres. Rompia os véus e as correntes e cantava para […]

Essa força

Essa doce força dos frágeis sem pudores jorrada na ordem da vida atiçando os humores há muito enterrados * Essa força macia das nossas memórias: o colchão o retrato o abraço o cuidado o meu choro-criança ,sua mão, meu amor * Essa força tão bela antiga surrada A potência da história cravada no corpo * […]

Ainda que…

Ainda que murcha, uma flor Ainda que seco, um riacho Ainda que triste, um dia de sol: as coisas guardam em si a memória do que foram a semente do que podem a espera de um porvir. As coisas guardam saudade desejo e poesia: o meu quarto guarda a infância os seus braços guardam os […]

A vida

É outono e a vida se abre em primaveras secretas – brota-me uma flor do tamanho de um lago nasce-me uma borboleta cintilante vive-me um fio do sol. É outono e a vida faz um balanço: exige meus olhos – atentos, amantes – pede um pouco mais de mim – um rastro, um rastro. Se […]

Era menina

Era menina e morreu cedo – largada ao relento. O sangue escorreu na calçada mas ninguém viu – só a lua só a lua só a lua. Era menina e quebrava vidros fumava pedra furtava ouro. Era menina e morreu cedo De canivete na mão dormindo ao deus-dará. Era menina e quem se importa? Era […]

Ao Senhor das Horas

Tu dizes, oh Senhor das Horas: “Faça-se, cumpra-se, pra ontem, pra ontem, pra ontem, pra ontem Guarde seu riso no oco da alma! Faça-se, cumpra-se: meu tempo é seu rei. Seja certeira, não deixe passar! Siga-me, venha-me, corra até mim Deixe para trás suas flores, seu chão Deixe de lado seu mar, suas letras Deixe […]