Meu nascimento

O meu nascimento foi ontem, quando a vida cantou aleluias de liberdade e me colocou de pé diante do precipício: era o voo. O meu nascimento também foi há muitos e muitos anos, quando as mães se reuniram em torno de uma fogueira e cantaram hinos de ardência e desejo. O nascimento é feito de infinitas linhas, em uma rede que se estende até a eternidade. O meu nascimento é também 20 anos adiante, ou 200 ou 2000. E as veias e as vênulas e os vasos capilares e as varizes e todos os tubos que fazem fluir ou estancar:tudo isso são nossos nascimentos mágicos e cheios de dor. E também são infinitas as nossas mães: feitas de primeiros abraços e últimas lágrimas no canto da sala. Dotadas de uma saudade e de um desejo que tornam a vida infinitamente potente, triste, meditativa, alegre. São infinitas nossas heranças, nossas perdas, nossas angústias. As gentilezas. O meu nascimento é amanhã. E foi antigamente. O meu nascimento será para além da minha morte. Meu sangue será um fio de um enorme rio. Seguirá inconstante. Desaguará oceânico. Fará poeira. Fome. E paz. O meu nascimento será na despedida. E também foi 30 anos atrás. Quando arrisquei pela primeira vez os pulmões. E a vida.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s