Para você

As cobras peçonhentas rondavam toda a casa. Dançavam no aquário. Roubavam-me um caderno, uma ideia, uma certeza. Sabe-se lá, meu bem, se existem espíritos obsessores ou se somos nossos próprios algozes. Não tenho a ilusão de encontrar a resposta. Tenho mais facilidade em tentar buscar o silêncio e aquela luz delicada que brota dos corações […]

A fera

Busco inspiração nos olhos de quem faz da dúvida sua força. E conhece os perigos disso. Começar por duvidar de si: analisando todas as pontas soltas do próprio pensamento, das próprias crenças, das próprias – e inventadas – verdades. Dançar com a incerteza e mergulhar fundo nas desilusões. Saber que, embora o chão pareça firme, […]

Uma carta de amor e sinceridade

Querida Patrícia Peterli, Hoje pensei em você. Sonhando acordada. Sonhei sua doçura. E seu amor pelos delírios. Quero contar dessas verdades que andam espalhando por aí: “dizer o que se pensa, doa a quem doer: eis a maior virtude dos honestos”. Ah, eu digo: de uma honestidade assim jamais precisei. Uma honestidade dessas – que […]

Azul

A minha mãe é azul. E conta histórias do Peter Pan. O meu pai me protege dos perigos alucinados do alto-mar: mesmo quando eu tenho o desejo incontrolável de ir fundo, bem fundo. Minha mãe tem cabelos de sereia. Olhos de fada. E guarda uma pontinha de tristeza não sei onde. Eu quebro as coisas. […]

Tristeza

Tristeza faz uma ternura. E, por vezes, acalenta: feito o aperto quase gostoso de esperar o pai voltar de viagem: e ele demora e demora e você olha para tudo o que traz lembranças dele e entende, num susto, a felicidade. Nos momentos em que tremi todas as dores do mundo, não era tristeza o […]

De Joelhos

Frustrou-se. Nem sabia que desejava tanto ser vista. Costumava sair de casa escondendo os olhos, os seios, o coração. A alma e o desejo. Curioso era que, recentemente, havia lentamente deixado o véu cair para sempre. Havia feito a ligação que não podia. Gritado as desmedidas do amor. Não tinha método: isso era fato. Tudo […]

Filha

Você tem medo. E tem também amor. O que pesa mais, ainda não decidiu. Lembra-se vagamente da mãe no hospital, lá no comecinho da sua vida. Você sentiu culpa e achou que era por causa de você que ela adoecia assim. Achou que era por causa das miúdas maldades que brotavam em seu coração. Você, […]

E depois?

Apressada e ainda morta de sono, despertou meio torta e toda bonita. Aspirou o perfume dele na nuca, no cantinho atrás da orelha esquerda: “meu menino e meu homem”. Partiu de carro acompanhada da voz do Ney, melodiosamente artística. Uma delícia. Pensou brevemente no individualismo e na poluição e que talvez, se trabalhasse mais perto, […]